Como os hormônios agem no corpo?

             Os hormônios possuem um papel muito importante em tudo o que fazemos – como lidamos com o estresse, como absorvemos gordura e como nos reproduzimos. Na verdade, nossos hormônios e as glândulas que os liberam são parte de um processo complexo. Quando os hormônios enlouquecem, as coisas podem ficar assustadoras. A hipófise ou glândula pituitária é considerada uma glândula mestra, pois secreta os hormônios que controlam o sistema endócrino.

     image

             Ela se divide em duas partes, a posterior e a anterior, que recebe todas a glórias por secretar hormônios que já conhecemos, talvez não pelo nome, mas por sua função, são eles:

Hormônio Luteinizante – Atua no ciclo menstrual e na gravidez, além de dizer aos homens quando devem liberar testosterona;

Prolactina – Ajuda as mulheres a produzir leite e atua na manutenção das células do sistema imunológico em ambos os sexos;

Hormônio estimulante da tireóide – Estimula a glândula tireóide a produzir mais hormônios que ajudam a regular o metabolismo e a pressão arterial.

Hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) – Estimula o córtex supra-renal a produzir cortisona, que ajuda a regular o metabolismo, a pressão arterial e a reação ao estresse; aldoesterona, que regula o metabolismo da água no organismo e a pressão arterial; e o hormônio sexual que ele mesmo produz.

Hormônio do crescimento – Estimula o crescimento da criança, a criança que o produz em pouca quantidade, normalmente não cresce, o contrário acontece com a que o produz em demasia.

              Os hormônios são, de várias formas, os reguladores do nosso corpo. São eles que regulam o suprimento de água, energia e calor. Também regulam sua habilidade de lidar com o estresse. Regulam até mesmo a capacidade de conceber e a libido, tanto nos homens quanto nas mulheres. Pequenos desvios de normalidade podem fazer com que você se sinta fraco, cansado e sem interesse.

               A falta de sexo, o ganho de peso e o cansaço não só são fatores que atrapalham a qualidade de vida, mas também são fatores de saúde. Todos esses sintomas aumentam a tendência ao envelhecimento precoce, além do mais, alguns problemas hormonais (diabetes) causam complicações na saúde.

              Lembre-se de que o que mantém seu sistema endócrino funcionando bem é a conexão de seus hormônios com o cérebro, sem níveis de hormônios adequados, não há função cerebral adequada. Portanto vamos ficar ligados, mente sã, corpo são! 

Você sabe o que é gordura Trans?

A gordura trans é um tipo de gordura formada por um processo industrial que transforma óleos vegetais líquidos em gordura sólida à temperatura ambiente. Gordura hidrogenada não é o mesmo que gordura trans, mas sim um tipo específico de gordura trans produzida na indústria. Há ocorrência de gordura trans em carnes e leites, mas em pequenas quantidades. Essa gordura, estranha ao nosso organismo é adicionada a diversos alimentos para aumentar seu tempo de prateleira, sabor, textura e crocância. Tudo isso porque ela apresenta características que lhe conferem estabilidade.

image

Onde a gordura trans se encontra?

Está presente em diversos alimentos: bolos, biscoitos, salgadinhos fritos e batata chips, chocolates, pipocas de microondas, margarinas, sorvetes, sanduíches (Big Mac), etc.

Problemas que esse tipo de gordura pode causar

Proibida na Dinamarca e na Suíça, seu consumo excessivo ocasiona aumento do colesterol ruim (LDL) e diminuição do bom (HDL), que como conseqüência pode levar à obesidade, dificuldade na passagem do sangue pelas artérias devido ao acumulo de gordura, diabetes, facilidade de contrair inflamações, câncer de mama, etc. E não há estudos/evidências que mostrem benefícios pelo consumo de gorduras trans.

Dá para evitar seu consumo?

A gordura trans não é sintetizada pelo organismo e, por isso, não deveria ser consumida nunca. Mas, como isso é quase impossível, o Ministério da Saúde determinou que é aceitável consumir até 2g da gordura por dia, o que equivale a quatro biscoitos recheados. Mesmo tendo isso em mente, um dos grandes problemas para o consumidor é conseguir perceber com clareza quanta gordura trans existe em cada alimento. “A Anvisa determinou que, quando uma porção do alimento possuir até 0,2% da gordura, o rótulo pode dizer que o produto não tem gordura trans, o que não é verdade”, explica Samantha Andrade. Ou seja, se a embalagem traz os valores referentes à porção de dois biscoitos e esses contiverem 0,2g de gordura trans, o fabricante pode afirmar que o produto é livre dela. Mas, na verdade, se uma pessoa comer 20 biscoitos terá consumido os 2g da gordura. “Por isso, o melhor jeito do consumidor ter certeza do que está comprando é verificar a lista de ingredientes para checar se não existe gordura vegetal hidrogenada na composição do produto”, ensina a nutricionista.

Vale a pena evitar ao máximo os alimentos industrializados ricos em gorduras trans ou reduzi-los em porções mínimas no final de semana. Nossa saúde agradece!


© Emagrecer com Saúde 2014 | Todos os direitos reservados.